Novidades 2018-09-21T20:09:46+00:00

Eletropaulo defende cassação de licença para quem faz uso irregular dos postes | CPFL

A CPFL Paulista e da AES Eletropaulo estão fechando o cerco para o processo que consideram irregular de ocupação dos seus postes. As duas empresas se reuniram na semana passada durante workshop quando anunciaram intensificação da fiscalização e a instituição do mecanismo de autodenuncia para os que querem regularizar sua situação. A Eletropaulo ainda informou que vem defendendo junto à Anatel a cassação da concessão para os “clandestinos”.

Santander destaca equipe para acompanhar movimentação de ISPs

As operadoras competitivas e provedores regionais de acesso devem ser os protagonistas, nos próximos anos, de movimentos de fusão e aquisição. Devem, ainda, atrair inúmeros fundos de investimentos, que vão ajudar a organizar este mercado e profissionalizá-lo. Esta é a previsão do Santander, que destacou uma equipe apenas para observar e aconselhar tais movimentos.

Conselho da Anatel adia decisão sobre TAC da Algar

O Conselho Diretor da Anatel prorrogou a análise sobre proposta de celebração de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Algar Telecom sobre temas relacionados a direitos e garantias dos usuários, fiscalização e interrupções de chamadas.  A prestadora, que tem concessão de telefonia fixa nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás, tem multas no valor de aproximadamente R$ 70 milhões, que poderão ser trocadas por compromissos de investimentos.

ANATEL PUBLICA VALORES DE REFERÊNCIA PARA NOVOS PRODUTOS NO ATACADO

A Anatel publicou nesta sexta-feira (30) os valores de referência para oferta de atacado de roaming de voz, roaming de dados e roaming de SMS, aluguel de dutos, bitstream, full unbundling e transporte de atacado. É a primeira vez que a Anatel estabelece valores de referência para esses produtos. De acordo com a decisão da agência, esses valores devem ser reavaliados nos próximos dois anos.

EMBRATEL SERÁ FORNECEDORA DO SERVIÇO DE NUVEM DO GOVERNO

A proposta da Primesys Soluções Empresariais, subsidiária da Embratel, foi considerada vencedora do pregão de prestação do serviço de nuvem para o governo. A compra foi confirmada nesta sexta-feira (30), na continuidade do pregão promovido pelo Ministério do Planejamento, após constatar que o serviço atende às exigências do edital. O valor ficou em pouco menos de R$ 30 milhões, menos da metade do valor previsto pelo órgão, de R$ 71 milhões.