ALGAR TELECOM AMPLIA REDE DE FTTH

Nas cidades de Uberlândia e Uberaba, em Minas Gerais, e Franca, em São Paulo, a cobertura chegará a 98%

Até o fim de 2019, cerca de 70% dos domicílios dos 87 municípios da área de concessão da Algar Telecom vão ter infraestrutura de fibra óptica. Em algumas cidades, a cobertura na área urbana vai chegar a 98% do total. Serão mais de 2.300 km de rede FTTH (Fiber-to-the-Home), que garantem a conexão via fibra óptica dentro da residência do cliente. O investimento faz parte da estratégia da empresa de aprimorar a experiência dos seus clientes do segmento varejo e micro e pequenas empresas (MPE).

“O cliente vai perceber uma navegação mais estável e mais rápida. A tecnologia nos permite oferecer planos com velocidade de até 300 MB”, relata Márcio Estefan, vice-presidente de Negócios da companhia. Ainda segundo o executivo, um dos maiores impactos é na velocidade upload. “O envio de dados para a internet fica mais rápido, o que proporciona uma experiência melhor para o usuário, especialmente aqueles que fazem muitas transferências de arquivos ou que tenham muita interação, como os adeptos a jogos online, por exemplo.”

As cidades que serão quase 98% cobertas são Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Franca (SP). Em Pará de Minas (MG), Nova Serrana (MG), Ituiutaba (MG), Itumbiara (GO), Patos de Minas (MG) e Batatais (SP), a cobertura chegará a 70%. Além dos investimentos diretos, outras cidades da concessão receberão melhorias subsidiadas pelos franqueados da empresa, por meio do Algar Franquias.

O Algar Franquias é uma iniciativa pioneira, implantada pela Algar Telecom em dezembro do ano passado. Trata-se do primeiro sistema de franquias de telecom do país. O franqueado assume as áreas comercial, de operação técnica, de construção e de manutenção de redes. “Estruturamos um modelo ideal para nos tornarmos mais próximos dos clientes e para agilizar as melhorias de rede mais adequadas à realidade dessas localidades”, diz Estefan.

A Algar Telecom atua no segmento B2C em 136 municípios nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. No segmento B2B, a companhia opera com 100% de rede de fibra óptica em 13 estados do Brasil, além do Distrito Federal, e chegará até o fim de 2018 a mais três estados. (Assessoria de Imprensa)

Fonte:TeleSintese

Posts Anteriores

  • Justiça manda Anatel exigir licença ambiental para autorizar antena

    A instalação de antenas no país, que já é uma tarefa complicada, ganha mais um obstáculo. A Justiça Federal determinou a Anatel que passe a exigir a licença ambiental das estações de telecomunicação. A decisão, expedida sob tutela de urgência, determina também que a agência condicione qualquer tipo de autorização de funcionamento das estações ao licenciamento ambiental.

  • Sua operadora está preparada para a Lei de Proteção de Dados? Comece já!

    A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), só começa a valer em agosto de 2020. Mas a sua empresa tem muito pouco tempo para se adaptar, apesar dos meses que ainda restam. O alerta foi feito hoje, 8, por Elisa Leonel, superintendente de Relações com os Consumidores da Anatel, durante o 46 Encontro de Provedores Regionais, promovido pela Bit Social, com apoio da Momento Editorial.

  • Pesquisa da Ouvidoria vê usuários dos serviços da Anatel satisfeitos

    Os usuários dos serviços prestados pela Anatel estão satisfeitos. Esse é o resumo da pesquisa feita pela Ouvidoria da agência reguladora em 2018. A avaliação chegou a 4,39 numa escala que vai de 1 a 6, sendo 1 totalmente insatisfeito e 6 muito satisfeito. Das quatro atividades pesquisadas, a melhor avaliação foi para outorga dos serviços de telecomunicações, que obteve 4,72 pontos.

  • PL do Senado prevê repasse às prefeituras de parte do aluguel de postes

    O Senado Federal vai decidir se as empresas de distribuição de energia elétrica, que compartilham postes ou dutos com outras companhias, terão que pagar um percentual às prefeituras. Isso é o que propõe o projeto de lei do Senado (PLS 310/2018) do ex-senador Eduardo Lopes (PRB-RJ). A matéria está na Comissão de Serviços de Infraestrutura, aguardando a definição de relator.

  • ISPs estão preparados para suportar consultas médicas virtuais

    Se depender dos provedores regionais, a consulta médica virtual poderá atender a moradores de pequenas cidades ou a das periferias dos grandes municípios, que hoje assinam planos de internet dessas empresas. “A grande maioria dos ISPs está usando fibra óptica, que garante conexão de alta qualidade”, afirma o diretor da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), Basílio Perez.

2018-10-10T21:38:23+00:00
Whatsapp