Anatel coloca em consulta pública edital para venda de outorgas da Sercomtel

O Conselho Diretor da Anatel aprovou nesta quinta-feira, 4, o encaminhamento para Consulta Pública da minuta do Edital de Licitação das outorgas da Sercomtel. Estarão no certame a concessão para prestação de Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) na modalidade local; a autorização para prestação de STFC nas modalidades LDN e LDI; a autorização para prestação de SMP; a autorização para prestação de SCM; e a autorização de uso de radiofrequências nas faixas de 800 MHz e 1.800 MHz. Segundo o relator do processo, Aníbal Diniz, a ideia é fazer com que, caso ocorra a caducidade das licenças da concessionária, o edital já esteja pronto.

“Este é um passo. Esperamos que haja bom senso da Prefeitura de Londrina e dos acionistas majoritários da Sercomtel a tomarem uma providência porque eles estão simplesmente vendo a empresa morrer por inanição e não tomam uma atitude. A Anatel está fazendo seu papel”, afirmou o relator.

Diniz informou ainda que a Consulta Pública terá duração de 30 dias. Após esse período, o Conselho Diretor vai consolidar o documento e publicá-lo. O conselheiro, no entanto, preferiu não estabelecer um prazo de quando o leilão poderá ocorrer. “Até o momento, os controladores não fizeram nenhum movimento para melhorar a situação”, justifica o relator.

Processo

A Sercomtel é controlada pela prefeitura de Londrina, onde estão concentradas as suas operações. O caso vem se desenvolvendo desde agosto de 2017, quando foi aberto o processo de caducidade (o acórdão da Anatel foi publicado em setembro). O problema é que a solução depende, essencialmente, da possibilidade de novos investimentos na concessionária, e isso só aconteceria se houvesse troca de controle, segundo sinalizações recebidas pela agência de possíveis interessados.

Além das questões relacionadas à caducidade e cassação, a Sercomtel tem outros processos na agência em que solicita anuência para vender 26 imóveis. Um deles constava na pauta da reunião do Conselho Diretor desta quinta-feira. O relator, Otávio Rodrigues, chegou a votar pela negativa do pedido, por entender que a prestadora passa por um momento delicado. No entanto, houve pedido de vista do processo.

Uma das expectativas da Anatel é que a Copel, minoritária, fizesse investimentos na empresa, mas o conselho da empresa de energia proibiu esse movimento em agosto, como revelou este noticiário. Além disso, a prefeitura havia prometido encaminhar a discussão legislativa sobre a possibilidade de venda do controle da empresas, o que abriria espaço para novos investidores, o que também não aconteceu.

Fonte:TeleTime

Posts Anteriores

  • Infinera projeta vender até US$ 300 milhões em equipamentos para ISPs em um ano

    O Ministério do Planejamento suspendeu, nesta quarta-feira (17), a licitação de serviço em nuvem, que atenderia a diversos órgãos da administração pública federal. O pregão estava marcado para esta quinta-feira (18). Não foi informado se a compra será retomada.

  • GOVERNO SUSPENDE LICITAÇÃO PARA SERVIÇO DE NUVEM

    O Ministério do Planejamento suspendeu, nesta quarta-feira (17), a licitação de serviço em nuvem, que atenderia a diversos órgãos da administração pública federal. O pregão estava marcado para esta quinta-feira (18). Não foi informado se a compra será retomada.

  • BNDES ESCOLHE ESTA SEMANA PROJETOS DE IOT A SEREM FINANCIADOS | BNDS

    O analista de infraestrutura do Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações, Guilherme de Paula Corrêa, disse hoje, durante o painel Futurecom, que até sexta-feira, dia 19, o BNDES terá selecionado os projetos que irão ser contemplados com financiamento para o desenvolvimento da IoT (Internet das Coisas).

  • ALGAR TELECOM AMPLIA REDE DE FTTH

    Até o fim de 2019, cerca de 70% dos domicílios dos 87 municípios da área de concessão da Algar Telecom vão ter infraestrutura de fibra óptica. Em algumas cidades, a cobertura na área urbana vai chegar a 98% do total. Serão mais de 2.300 km de rede FTTH (Fiber-to-the-Home), que garantem a conexão via fibra óptica dentro da residência do cliente. O investimento faz parte da estratégia da empresa de aprimorar a experiência dos seus clientes do segmento varejo e micro e pequenas empresas (MPE).

  • ANATEL QUER OUVIR SOCIEDADE SOBRE PROPOSTA DE OUTORGA ÚNICA DE SERVIÇO

    A Anatel abriu, nesta segunda-feira (8), consulta pública para submeter a comentários e sugestões do público geral o Projeto Estratégico de Reavaliação do Modelo de Outorga e Licenciamento de Estações e propostas de alterações regulamentares e legislativas decorrentes. As propostas trazem alterações significativas e podem resultar, entre outros efeitos, na isenção de taxa de fiscalização de funcionamento (TFF) das estações móveis e destinadas a M2M. Tal medida teria impacto de R$ 2,2 bilhões na arrecadação anual do Fistel.

2018-10-07T15:28:20+00:00