A pesquisa por telefone ouvirá 100 mil usuários até novembro.

 

Consumidores de telecomunicações de todo o Brasil estão participando da 4ª edição da Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida, coordenada pela Anatel. O período de coleta de dados, que teve início em 9 de julho e vai até novembro, envolve entrevistas telefônicas com mais de 100 mil consumidores. A apuração será finalizada até o final de novembro deste ano e os resultados deverão ser divulgados no 1º trimestre de 2019.

O levantamento busca coletar informações para aperfeiçoar o trabalho da Agência e levar informações sobre o desempenho dos serviços para a sociedade, assim como para órgãos de defesa do consumidor. Os resultados permitem comparar, por unidade da federação, a satisfação e percepção de qualidade dos consumidores, por prestadora e por serviço.

A pesquisa é feita por meio de entrevistas telefônicas, que duram cerca  de  12 minutos, com mais de 100 mil consumidores. Nela os consumidores podem expressar o seu nível de satisfação com as prestadoras e, também, como eles percebem a qualidade dos serviços que contrataram. Ao todo, a pesquisa envolve o público de 17 prestadoras dos seguintes serviços coletivos: telefonia fixa, telefonia móvel, banda larga fixa e TV por assinatura.

Fazem parte do questionário aplicado perguntas sobre satisfação geral com a prestação dos serviços e ainda sobre a qualidade percebida com os canais de atendimento da prestadora; oferta e contratação de serviços; funcionamento dos serviços; cobrança, reparo e instalação; além de capacidade de resolução de problemas.(assessoria de imprensa).

Fonte:TeleSintese

Posts Anteriores

  • Duas toneladas de fios irregulares são recolhidas no Centro do Recife | Anatel

    Duas toneladas de fios irregulares são recolhidas no Centro do Recife | Anatel

    Duas toneladas de fios de redes irregulares de telecomunicação foram recolhidas na manhã desta segunda-feira (30) em postes na Avenida Conde da Boa Vista, no Centro do Recife, durante o primeiro dia da ação realizada pela Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) com o apoio da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU).

  • ANATEL FAZ NOVA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO SERVIÇO DE TELECOM

    ANATEL FAZ NOVA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO SERVIÇO DE TELECOM

    Bancos pequenos e médios vão se tornar mais competitivos no mercado de emissão de boletos de pagamento. Uma das principais barreiras para a entrada das instituições de pequeno porte nesse mercado era a falta de uma ampla rede de agências no país nas quais esses boletos poderiam ser pagos, mas essa realidade começa a mudar com a nova regra para a cobrança desses documentos.

  • ACESSO À INTERNET CHEGA A 61% DOS DOMICÍLIOS BRASILEIROS, DIZ CETIC.BR | Anatel

    ACESSO À INTERNET CHEGA A 61% DOS DOMICÍLIOS BRASILEIROS, DIZ CETIC.BR | Anatel

    Bancos pequenos e médios vão se tornar mais competitivos no mercado de emissão de boletos de pagamento. Uma das principais barreiras para a entrada das instituições de pequeno porte nesse mercado era a falta de uma ampla rede de agências no país nas quais esses boletos poderiam ser pagos, mas essa realidade começa a mudar com a nova regra para a cobrança desses documentos.

  • Anatel aprova PGMC com nova definição de Prestador de Serviço de Pequeno Porte

    Anatel aprova PGMC com nova definição de Prestador de Serviço de Pequeno Porte

    Bancos pequenos e médios vão se tornar mais competitivos no mercado de emissão de boletos de pagamento. Uma das principais barreiras para a entrada das instituições de pequeno porte nesse mercado era a falta de uma ampla rede de agências no país nas quais esses boletos poderiam ser pagos, mas essa realidade começa a mudar com a nova regra para a cobrança desses documentos.

  • Para superar conflitos, Anatel esclarece as condições de interrupção da interconexão

    Para superar conflitos, Anatel esclarece as condições de interrupção da interconexão

    Bancos pequenos e médios vão se tornar mais competitivos no mercado de emissão de boletos de pagamento. Uma das principais barreiras para a entrada das instituições de pequeno porte nesse mercado era a falta de uma ampla rede de agências no país nas quais esses boletos poderiam ser pagos, mas essa realidade começa a mudar com a nova regra para a cobrança desses documentos.