Anatel quer flexibilizar regras para IoT

ENTRE AS PREOCUPAÇÕES DA AGÊNCIA ESTÃO AS REGRAS ASSIMÉTRICAS QUE EXISTEM ENTRE AS OPERAÇÕES LICENCIADAS E AS NÃO LICENCIADAS.

 

A Anatel lançou hoje, 11, tomada de subsídios para a Internet das Coisas (IoT). “Queremos saber quais são as simplificações regulatórias que poderemos fazer para estimular a IoT no Brasil”, afirmou o superintendente de Planejamento da  Anatel, Nilo Pasquali.  Essa tomada de opinião – que é ainda um instrumento anterior à consulta pública – ficará aberta a receber contribuições até  12 de outubro.

Nesse documento, a Anatel faz um diagnóstico sobre o que considera ser os principais entraves para o desenvolvimento da IoT no país. ” A tributação do Fistel, mesmo com o valor reduzido de R$ 5 que existe hoje, é um grande fator inibidor. Precisa ser zerada”, afirmou ele.

Outro problema na atual regulamentação, que no entender da Anatel,  precisa ser resolvido para destravar o desenvolvimento da Internet das Coisas, são as regras assimétricas que existem entre as licenças licenciadas e as não licenciadas. ” É preciso equalizar as diferenças, pois hoje os serviços que trafegam nas frequências licenciadas pagam taxas para os fundos como Fistel, enquanto os que trafegam em frequência não licenciada, não”, assinalou ele.

Essa assimetria mais onerosa para outorgas diferentes – a outorga de serviço coletivo recolher para os fundos setoriais enquanto a de serviço limitado privado (SLP), não – também precisa ser alterada, disse Pasquali. A Anatel quer ouvir a sociedade sobre como poder agir.

MVNO

Outro tema que, para a agência, também precisará de respostas, é o roaming permanente. Como sugestão, a Anatel pretende simplificar em muito as regras do MVNO (Operador Móvel Virtual), para que, com essa licença, as empresas possam prestar o serviço de IoT no país.

 

Fonte:PontoISP

Posts Anteriores

  • Eletropaulo defende cassação de licença para quem faz uso irregular dos postes | CPFL

    A CPFL Paulista e da AES Eletropaulo estão fechando o cerco para o processo que consideram irregular de ocupação dos seus postes. As duas empresas se reuniram na semana passada durante workshop quando anunciaram intensificação da fiscalização e a instituição do mecanismo de autodenuncia para os que querem regularizar sua situação. A Eletropaulo ainda informou que vem defendendo junto à Anatel a cassação da concessão para os “clandestinos”.

  • MUM 2018

    Obrigado por nos visitar no MUM 2018!! A MikroTik User Meeting (MUM) é uma conferência sobre o software RouterOS e o hardware RouterBoard da MikroTik

  • Santander destaca equipe para acompanhar movimentação de ISPs

    As operadoras competitivas e provedores regionais de acesso devem ser os protagonistas, nos próximos anos, de movimentos de fusão e aquisição. Devem, ainda, atrair inúmeros fundos de investimentos, que vão ajudar a organizar este mercado e profissionalizá-lo. Esta é a previsão do Santander, que destacou uma equipe apenas para observar e aconselhar tais movimentos.

  • Conselho da Anatel adia decisão sobre TAC da Algar

    O Conselho Diretor da Anatel prorrogou a análise sobre proposta de celebração de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Algar Telecom sobre temas relacionados a direitos e garantias dos usuários, fiscalização e interrupções de chamadas.  A prestadora, que tem concessão de telefonia fixa nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás, tem multas no valor de aproximadamente R$ 70 milhões, que poderão ser trocadas por compromissos de investimentos.

  • ANATEL PUBLICA VALORES DE REFERÊNCIA PARA NOVOS PRODUTOS NO ATACADO

    A Anatel publicou nesta sexta-feira (30) os valores de referência para oferta de atacado de roaming de voz, roaming de dados e roaming de SMS, aluguel de dutos, bitstream, full unbundling e transporte de atacado. É a primeira vez que a Anatel estabelece valores de referência para esses produtos. De acordo com a decisão da agência, esses valores devem ser reavaliados nos próximos dois anos.

2018-09-21T20:09:46+00:00