PLC 79 VAI SER APRECIADO POR COMISSÃO ANTES DE IR AO PLENÁRIO DO SENADO | PLC79

Senador Vanderlan Cardoso, presidente da CCT, considera remota a aprovação de requerimento de urgência para a votação de emendas ao novo marco das telecomunicações diretamente no plenário do Senado

Os 17 senadores da Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCT) do Senado vão apreciar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 79 antes de a matéria ir ao plenário da Casa.  É dessa forma que o presidente da CCT, senador Vanderlan Cardoso (PP-GO), prevê encaminhar a tramitação da proposta sobre o novo marco regulatório das telecomunicações, de acordo com sua assessoria.

Esse encaminhamento afasta a hipótese de aprovação de pedido de urgência para votação direta em plenário, estratégia que tornaria mais fácil a rejeição das 16 emendas apresentadas pelos senadores Humberto Costa (PE) e Paulo Rocha (PA). A aprovação em alteração do texto original evitaria que fosse devolvido à Câmara dos Deputados.

Se a urgência vier a ser aprovada antes da apreciação na CCT, a nova relatora do PLC na comissão, senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), designada na quarta-feira, dia 20, poderia apresentar seu parecer  diretamente ao plenário da Casa, abreviando a tramitação da matéria. Ela é líder do PP, mesmo partido do presidente da comissão.

De acordo com o senador, a possibilidade de enviar a matéria diretamente para o plenário, sem que seja apreciada na CCT, é bastante remota. Segundo a assessoria, Cardoso sabe da importância do tema e da responsabilidade que tem e, portanto, a matéria irá passar pela comissão.

Assinaturas

A ideia de apresentação de requerimento de urgência foi levantada ao Tele.Síntese pelo autor do PLC, o ex-deputado Daniel Vilela (MDB-GO), candidato derrotado a governador e aliado político de Cardoso nas eleições de 2018.

Segundo Vilela, o líder do governo no Senado poderia colher assinaturas de líderes partidários para apresentar o requerimento de urgência. Desde quarta-feira, o cargo é ocupado pelo senador Fernando Coelho Bezerra (MDB-PE) por designação do presidente Jair Bolsonaro.

“No ano passado, o Jucá [ex-senador Romero Jucá (MDB-RR)] colheu as assinaturas, mas o Eunício não quis colocar em votação no plenário”, afirmou o autor do PLC, referindo-se ao ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), que devolveu a matéria à CCT para análise das emendas apresentada pelos senadores do PT.

Astronauta e Educação Conectada

Estreante no Senado, Daniella Ribeiro é a primeira mulher da Paraíba a exercer uma vaga no Senado. É formada em pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), já foi professora e tem pós-graduação em relações internacionais na Universidade de Brasília (UnB).

Ela é natural de Campina Grande (PB), polo de inovação e tecnologia, e filha do atual vice-prefeito da sua cidade natal, Enivaldo Ribeiro (PP). Começou na política em 2004 e era deputada estadual antes de ser eleita ao Senado.

Na primeira reunião da CCT, realizada nessa quarta-feira, a parlamentar votou a favor de requerimento de convocação do ministro das Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o astronauta Marcos Pontes, para falar diretrizes da pasta em 2019.

Também foi aprovado pedido da senadora realização de audiência conjunta com as Comissões de Assuntos Sociais (CAS), de Educação, Cultura e Esporte (CE) e de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) com o objetivo de instruir o PLC 142/2018, que institui a Política de Inovação Educação Conectada.

Durante a primeira reunião da CCT neste ano, foi eleita a vice-presidente da comissão, a ex-juíza e senadora Selma Arruda (PSL-MT).

Fonte:TeleSintese

Posts Anteriores

  • Anatel aprova destinação da faixa para 5G

    Os números da banda larga fixa reunidos no relatório anual divulgado hoje, 25, pela Anatel, mostram mais que a expansão de mercado dos provedores regionais. Indicam que a o ritmo de ativação de redes de fibra óptica em novas cidades vem caindo ano a ano desde 2016. Naquele ano, 538 cidades receberam redes com fibra. Já em 2017, foram 226. E ano passado, mais 138 cidades se juntaram à lista das que são cobertas, ao menos em algum ponto, com alguma tecnologia óptica. Ao final de 2018 havia no país 3.589 cidades com redes de fibra, de um universo de 5.570 municípios.

  • TCU reforma decisão sobre análise de TACs da Anatel

    Os números da banda larga fixa reunidos no relatório anual divulgado hoje, 25, pela Anatel, mostram mais que a expansão de mercado dos provedores regionais. Indicam que a o ritmo de ativação de redes de fibra óptica em novas cidades vem caindo ano a ano desde 2016. Naquele ano, 538 cidades receberam redes com fibra. Já em 2017, foram 226. E ano passado, mais 138 cidades se juntaram à lista das que são cobertas, ao menos em algum ponto, com alguma tecnologia óptica. Ao final de 2018 havia no país 3.589 cidades com redes de fibra, de um universo de 5.570 municípios.

  • Serviços de Informação e Comunicações têm retração de 1,7% em março | Fibra Optica

    Os números da banda larga fixa reunidos no relatório anual divulgado hoje, 25, pela Anatel, mostram mais que a expansão de mercado dos provedores regionais. Indicam que a o ritmo de ativação de redes de fibra óptica em novas cidades vem caindo ano a ano desde 2016. Naquele ano, 538 cidades receberam redes com fibra. Já em 2017, foram 226. E ano passado, mais 138 cidades se juntaram à lista das que são cobertas, ao menos em algum ponto, com alguma tecnologia óptica. Ao final de 2018 havia no país 3.589 cidades com redes de fibra, de um universo de 5.570 municípios.

  • Anatel confirma leilão de 5G para o próximo ano

    Os números da banda larga fixa reunidos no relatório anual divulgado hoje, 25, pela Anatel, mostram mais que a expansão de mercado dos provedores regionais. Indicam que a o ritmo de ativação de redes de fibra óptica em novas cidades vem caindo ano a ano desde 2016. Naquele ano, 538 cidades receberam redes com fibra. Já em 2017, foram 226. E ano passado, mais 138 cidades se juntaram à lista das que são cobertas, ao menos em algum ponto, com alguma tecnologia óptica. Ao final de 2018 havia no país 3.589 cidades com redes de fibra, de um universo de 5.570 municípios.

  • Aluguel de postes será tema de audiência pública na Câmara | Fibra Optica

    Os números da banda larga fixa reunidos no relatório anual divulgado hoje, 25, pela Anatel, mostram mais que a expansão de mercado dos provedores regionais. Indicam que a o ritmo de ativação de redes de fibra óptica em novas cidades vem caindo ano a ano desde 2016. Naquele ano, 538 cidades receberam redes com fibra. Já em 2017, foram 226. E ano passado, mais 138 cidades se juntaram à lista das que são cobertas, ao menos em algum ponto, com alguma tecnologia óptica. Ao final de 2018 havia no país 3.589 cidades com redes de fibra, de um universo de 5.570 municípios.

2019-02-24T20:32:37+00:00
Whatsapp