PRESIDENTE DA CCT VAI CONDUZIR COM CAUTELA E CELERIDADE A APRECIAÇÃO DO PLC 79

Senador Vanderlan Cardoso (PP-GO) fez dobradinha nas eleições de 2018 com o ex-deputado Daniel Vilela (MDB-GO), responsável pela proposta na Câmara.

A tramitação do projeto de lei da Câmara (PLC) 79/2016, que trata do novo marco regulatório das telecomunicações, será conduzida, a partir próxima semana, com cautela, mas com a celeridade que o assunto exige.

Essa é a estratégia definida para a apreciação da matéria pelo novo presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), senador Vanderlan Cardoso (PP-GO).

Segundo a assessoria do parlamentar, a proposta não irá tramitar  a toque de caixa na CCT, apesar de haver expectativa de votação da matéria ainda neste semestre por parte do governo, do mercado e de parlamentares defensores da aprovação do texto sem alterações para não ter de retornar à Câmara.

Nessa terça-feira, 19, Cardoso voltou a se encontrar com o ministro das  Ciência, Tecnologia, Inovações, e Comunicações (MCTIC), o astronauta Marcos Pontes, para discutir o PLC 79 e outros projetos de interesse da pasta. Foi a segunda visita de Vanderlan ao ministro depois de ele ter sido eleito, no dia 13 deste mês, para presidir a CCT.

Segundo a assessoria, o presidente da comissão vai ouvir a respeito a vice-presidente do colegiado, a ex-juíza e senadora Selma Arruda (PSL-MT), que foi eleita ao cargo nesta quarta-feira, 20, por aclamação. Após o resultado, ela manifestou sua preocupação com a qualidade dos serviços e a ausência de internet no interior do país.

Da comissão participam 17 senadores titulares, entre eles o ex-presidente do Senado e candidato derrotado nas eleições da mesa diretora, o senador Renan Calheiros (MDB-AL),  que é favorável à aprovação do PLC.

Na CCT, a matéria está parada desde o final do ano passado para a apreciação de 16 emendas de parlamentares do PT.

Urgência

Aliado político do presidente da CCT, o autor do PLC 76, ex-deputado federal Daniel Vilela (MDB-GO), está animado com a aprovação da matéria de forma mais rápida, após o Carnaval, após passar na CCT e ter requerimento de urgência aprovado para votação no plenário do Senado.

Questionado por WhatsApp sobre a expectativa de votação da matéria, Vilela comentou: “Estou bastante entusiasmado com a votação da matéria. Já estive com o Vanderlan e com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que conhece bem o projeto, inclusive dos detalhes e, principalmente, da importância da aprovação o projeto. Várias pessoas já estiveram com o senador Vanderlan dizendo que esse será o projeto mais importante a ser votado pela comissão neste ano”.

Segundo o autor do projeto, o presidente do Senado considera importante esclarecer os novos senadores e todos os integrantes da CCT sobre a proposta.

Vanderlan e Vilela vão participar em Barcelona, na Espanha, do Mobile World Congress (MWC) 2019, o maior evento de telefonia móvel do mundo, que acontece de 25 a 28 de fevereiro.

Eles são aliados na política de Goiás. Nas eleições passadas, fizeram dobradinha para disputar os cargos majoritários do Senado e do governo estadual. Cardoso foi eleito, enquanto Vilela ficou em segundo lugar no pleito para governador, perdendo para o ex-senador Ronaldo Caiado (DEM).

Vilela faz parte do mesmo grupo que apoiou a indicação do atual presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Leonardo Euler de Morais, que é filho do ex-deputado pelo PMDB de Goiás. Entre os aliados estão o ex-governador, ex-senador e ex- prefeito de Aparecida de Goiás, Maguito Vilela, pai de Daniel Vilela.

Liberação de investimentos

O secretário executivo do MCTIC, Júlio Semeghini, afirmou ontem que o ministro Marcos Pontes trabalha com o Ministério da Economia e da Casa Civil para definir uma posição do governo em relação ao projeto.

Semeghini também admitiu que, na negociação com os senadores, o governo pode ceder ajustes posteriores, por meio de decreto presidencial ou mesmo Medida Provisória. Explicou que a estratégia visa evitar o retorno da matéria à Câmara.

“Precisamos da aprovação desse projeto para dar segurança jurídica para liberar os investimentos no país. O mais importante é aprovar o projeto como está”, declarou, adiantando que a equipe da pasta já prepara uma apresentação para prestar esclarecimentos aos senadores.

Segundo o secretário, o presidente da CCT está aberto a colher o máximo de informações sobre a proposta. E contará também com o apoio do senador Esperidião Amim (PP-SC), que foi deputado na legislação passada e acompanhou o debate da matéria.

Os defensores do PCL 79 entendem que o grande desafio será encontrar espaços para acelerar a tramitação da proposta em meio às propostas prioritárias do pacote anticrime e da reforma da Previdência apresentadas ontem e hoje ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro.

Fonte:TeleSintese

Posts Anteriores

  • Anatel vai premiar pequenas prestadoras por bom atendimento ao consumidor

    A Anatel vai premiar práticas inovadoras de prestadoras de serviços de telecomunicações voltadas ao atendimento dos consumidores. A escolha do tema do Prêmio Anatel – Prática Inovadora 2019, lançado esta semana pela agência, tem por objetivo incentivar a criação de soluções para um dos problemas do setor, que é o da qualidade do atendimento. Um dos prêmios irá para pequenos prestadores.

  • Postes: provedores precisam recorrer à Justiça para comissão Anatel-Aneel julgar processos

    No dia 7 de março deste ano, o juiz substituto Márcio de França Moreira, da 8ª Vara do DF, determinou em sentença que, em 40 dias, a comissão arbitral Anatel-Aneel de resolução de conflitos relativos à aluguel de postes se manifeste sobre o processo da Leste Flu Serviços de Telecomunicações no qual aciona a Ampla Energia e Serviços S/A. O provedor, com sede em Itaboraí, no Rio de Janeiro, recorreu à Justiça porque seu processo estava na comissão desde agosto de 2018, sem ser analisado.

  • PEQUENAS PRESTADORAS RESPONDEM POR 90% DA EXPANSÃO DA BANDA LARGA NO ANO

    O país fechou janeiro deste ano, segundo dados divulgados pela Anatel, com 31,1 milhões de contratos ativos de banda larga, crescimento de 6,1% em 12 meses (mais 1,8 milhão de assinantes). Os grandes responsáveis pela expansão da base no período foram os provedores regionais de acesso à internet – cerca de 90% dos novos acessos são clientes de suas empresas.

  • CÂMARA RETOMA PROJETO QUE ZERA TAXAS SOBRE IOT

    A Câmara dos Deputados deverá retomar na próxima semana a apreciação do Projeto de Lei 7656/17, do deputado Vitor Lippi (PSDB-SP), que elimina taxas e contribuições incidentes sobre as estações móveis de serviços de telecomunicações dos sistemas de comunicação máquina a máquina, mais conhecidos como internet das coisas ou IoT (internet of Things). Essa proposta é vista por especialistas em telecom como uma antecipação necessária do Legislativo para reduzir a carga tributária não somente dos dispositivos móveis M2M, sem intervenção humana, já em vigor, como também para esses mesmos dispositivos que exigem intervenção humana. O governo ainda não fixou data para editar medida sobre a regulamentação sobre IoT.

  • LEIS ESTADUAIS QUE CRIAM OBRIGAÇÕES PARA TELES SÃO CONTESTADAS NO STF

    Leis estaduais que criam obrigações para prestadores de serviços de telefonia e internet são contestadas no Supremo Tribunal Federal (STF). A Associação das Operadoras de Celulares (Acel) e a Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix) ajuizaram cinco Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs), com pedidos de liminar, contra as normas dos estados de Pernambuco (ADI 6086), Amazonas (ADIs 6087 e 6088), Ceará (ADI 6089) e Rio de Janeiro (ADI 6094). Em todas as ações, as associações afirmam que é competência privativa da União legislar sobre telecomunicações.

2019-02-24T20:30:24+00:00
Whatsapp