Repactuar seus contratos! Essa é a hora!

Na live de hoje, pelo Instagram, a APRONET – Associação Catarinense de provedores de Internet – entrevistou várias personalidades de peso do setor de telecomunicações.

Dentre os vários entrevistados, gostaríamos de destacar o que foi dito pelo Dr Alan Silva Faria, do escritório Silva Vitor Faria e Ribeiro Advogados e que gostaríamos de tecer também alguns comentários: a possibilidade de repactuação dos contratos do provedor de internet.

O provedor fecha contratos com seus clientes e, ao mesmo tempo, com seus fornecedores. Quando se fala em repactuação, temos que pensar tanto nos contratos ondem “vendemos” como nos contratos onde “compramos”.

Quando um cliente nos liga solicitando um downgrade ou mesmo informando que não tem condições de honrar seus compromissos mensais, o que fazer?

Por outro lado, o valor que pagamos em postes é muito alto e, ainda, justo agora que a inadimplência tende a aumentar, teremos que solicitar o aumento de link, uma vez que os clientes estão utilizando ainda mais a Internet. Como resolver isso?

De acordo com o Dr. Alan, é importante que o provedor busque seus fornecedores antes do vencimento das faturas.

Veja um exemplo

Por exemplo, no caso do link, quem já não pediu upgrade, fatalmente terá que fazê-lo em breve. Nesse caso, entendemos, que o provedor deve conversar com seu fornecedor sobre o problema da inadimplência e tentar chegar a um acordo sobre um valor melhor por mega e, muito importante, que esse aumento seja temporário. Não firme contratos de 12, 24 ou 36 meses nesse momento, pois uma hora as pessoas não irão mais ficar em casa e o consumo voltará ao normal.

No caso dos postes é um pouco mais complexo. O Dr. Alan sugeriu que as associações, com sua força de representatividade, conversem diretamente com as concessionárias, conseguindo assim uma melhor margem de negociação.

Foi mostrada a importância da APRONET e ABRINT nesse quesito.

O ponto acima é de grande importância e certamente as associações estão preocupadas com esse tema.

Sugerimos também que os provedores de uma mesma região se juntem e tentem conversar com a concessionária de sua localidade, tentando mostrar que o problema é geral.

Quando a repactuação é com seus clientes, pense da mesma forma. Como dito pelo Dr. Alan, “pau que bate em Chico, bate em Francisco”.

Procure negociar e entender seu cliente. Muitas vezes é melhor um downgrade temporário do que uma inadimplência definitiva, melhor um desconto agora do que uma perda de receita que influencie negativamente seu fluxo de caixa.

Sobre a inadimplência, veja também nosso post específico sobre o tema clicando aqui

Posts Anteriores

2020-03-24T18:12:00+00:00